#016 - Iodo no Sal Rosa #1


O objetivo deste ensaio é pesquisar o íon iodato em nove amostras de sal rosa.


 Escrito e desenvolvido por Léo Corradini

Atualmente está na moda o uso do sal rosa.
 
O sal comum, por força da legislação, é aditivado com o íon iodato que fornece iodo para o nosso organismo.


O iodo foi colocado no sal de cozinha para acabar com o bócio, muito comum décadas atrás.

Porém, o sal rosa normalmente não é aditivado com iodo, talvez alguma brecha na lei.
Portanto, não deve conter o íon iodato, que é a fonte de iodo mais usada para essa finalidade.

                  Teoria do ensaio:

O íon iodato, do aditivo, reage com o íon iodeto em meio ácido produzindo iodo livre.

(IO³-) + (5I-) + (6H+) = 3I2 + 3H²O

O iodo livre, nesse ensaio, vai do incolor até o amarelo claro, dependendo da concentração.


Para aumentar a sensibilidade do ensaio usei uma solução de amido solúvel.
O amido tinge-se de roxo quando em contato com o iodo livre.

Ensaiei também três amostras de referência, uma amostra de sal comum outra de sal grosso e uma solução com 0,2mg de Iodato de Potássio.


                  Reagentes usados:


- Solução com 100mg de Iodato de Potássio em 30mL de água destilada.

- Solução com 3g de Iodeto de potássio em 30mL de água destilada.

- Solução com 3mL de Ácido Clorídrico em 27mL de água destilada.

- Solução de Amido Solúvel 0,5%.





                     Procedimento:


- Dissolvi meio grama de cada amostra do sal rosa em 10mL de água destilada.


                      Ensaios de referência:


- Dissolvi meio grama de sal comum em 10mL de água destilada.

- Dissolvi meio grama de sal grosso em 10mL de água destilada.

- O terceiro ensaio de referência consiste em uma gota da solução de Iodato de Potássio em 10mL de água destilada, equivale a cerca de 0,2mg de KIO3.


                        Em todos os tubos:


- Acrescentei uma gota da solução de Iodeto de Potássio.

- Mais uma gota da solução de Ácido Clorídrico.

- Finalmente, duas gotas da solução de amido solúvel.


                              Resultados:


Como esperado, os ensaios de referência com o sal comum e o sal grosso mostraram a cor roxa característica do amido tingido pelo iodo livre demonstrando a presença do íon iodato.

O ensaio com 0,2mg de Iodato mostrou uma cor ainda mais carregada.

As amostras de sal rosa, #1, #3, #5, #7 e #8 não contém o íon iodato, portanto não foram aditivadas.

As amostras #2, #4, #6 e #9 produziram alguma cor, porém com fraca intensidade.

                              Conclusões:

Confesso que esse ensaio me surpreendeu, a presença de uma pequena quantidade de iodo em algumas amostras foi inesperada.




Suspeito que essas amostras não foram aditivadas, a presença de pequena quantidade de íons iodato pode ser resultado da contaminação desses sais no processo de moagem e/ou embalagem.

As máquinas poderiam estar eventualmente contaminadas com o sal comum aditivado que foi previamente processado, isso exige uma investigação no processo de produção, embalagem e distribuição.

Acho que estou sendo um tanto ingênuo nesta conclusão !

Não estou querendo acreditar que as amostras que apresentaram iodo na composição, pode ser o resultado de fraude.

Ou seja, estão vendendo sal rosa misturado com sal comum.
O mais interessante é que isso torna o sal rosa mais saudável!
Mas, acredito que não foi essa a intenção dos fraudadores.

Supondo que a intenção, nas quatro amostras que mostraram a presença de iodo, tenha sido aditivar, então nenhuma dessas amostras foi aditivada da forma como deveria, ou seja, com a quantidade de iodo estabelecida pela legislação.

Podemos constatar isso pela diferença da coloração entre as amostras de sal comum e as amostras de sal rosa que apresentaram a cor roxa, a diferença na intensidade da cor é muito grande.



Do ponto de vista nutricional é mais interessante usar o sal comum porque apresenta iodo na composição, além de ser mais barato.

Acredito que uma dieta pobre em iodo e que substitua o sal comum iodatado por sal rosa, pode comprometer a saúde.

Atualmente, é possível encontrar no comércio sal rosa aditivado com iodo, isso vem descrito na embalagem.

Costuma-se dizer que o sal rosa é mais saudável porque contém muitos outros minerais.

Mas, é preciso lembrar que alguns desses minerais podem ser extremamente tóxicos.

Por exemplo: Cádmio, Tálio e Berílio.

Que podem, a médio e longo prazo, se acumular no organismo.

O refinamento do sal, pela cristalização seletiva nas salinas, é importante porque retira também o íon sulfato que é diarreico.  




Veja também:

Radioatividade no sal rosa

https://potassio-40.blogspot.com/2017/11/a-titulo-de-curiosidade-estou-fazendo.html

Radioatividade do Sal Rosa (Segundo Ensaio) 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

#042 - Radioatividade do filamento da Magnétron #1

#037 - A radioatividade do Granito

#034 - Índice do Blog

#023 - Joule Thief

#038 - Chumbo na fumaça

#046 - Kit de Química da John Adams

#052 - Impressora Jato de Tinta