Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2018

Radioatividade do Sal Rosa (Segundo Ensaio)

Imagem
Índice do Blog

Aqui está a continuação do ensaio da radioatividade do sal rosa do Himalaia.

Escrito e desenvolvido por Léo Corradini

Veja o primeiro ensaio aqui:
https://potassio-40.blogspot.com.br/2017/11/a-titulo-de-curiosidade-estou-fazendo.html

Neste novo ensaio, a válvula Geiger-Müller foi totalmente envolvida pela amostra de sal.




A intenção foi aumentar a sensibilidade do teste em função do aumento da área de exposição do sensor.

Foram usadas as mesmas amostras do teste anterior.

Ou seja:

- 97g de sal rosa
- 97g de sal comum 
- 97g de sal light 
- Um ensaio em branco. 

O ensaio em branco é conduzido nas mesmas condições, porém sem a presença de sal, o valor desse ensaio é a radiação de fundo.
O sal light é composto por 50% de cloreto de sódio e 50% de cloreto de potássio.
O potássio é radioativo (emite Beta e Gama) então, podemos esperar um número maior de eventos de radiação neste ensaio.

Resultados:

- Sal rosa do Himalaia - 28948 eventos em 1594 minutos -> 18,16 CPM
- Sal comum - 26049 even…

Magnésio no Sal Rosa

Imagem
Índice do Blog

O objetivo deste ensaio é detectar o íon de magnésio no sal rosa do Himalaia.

Escrito e desenvolvido por Léo Corradini




Ensaiei uma amostra de sal rosa outra de sal comum e uma solução com íons de magnésio como referência.

A solução de referência é composta por 10mL de água destilada e uma gota de uma solução saturada de cloreto de magnésio.

Teoria do ensaio:

O hidróxido de magnésio, recentemente preparado, tinge-se de marrom/vermelho na presença do iodo dissolvido em iodeto, esse fenômeno é característico do íon magnésio.

O iodo (I) reage com o íon hidroxila (OH-) produzindo o íon iodeto (I-), água e o íon hipoiodito (IO-) que tem uma cor mais clara que o iodo, aumentando o contraste entre a solução e o hidróxido de magnésio tingido.

2I + 2OH- <--> I- + H2O + IO-

A precipitação de magnésio sob a forma de hidróxido de magnésio remove os íons hidroxila, assim o sentido da reação tende para a produção do iodo necessário para a adsorção.

Esse fenômeno é muito interessante e aum…

Magnésio no sal grosso

Imagem
Índice do Blog
O objetivo deste ensaio é detectar o íon de magnésio no sal grosso.
Escrito e desenvolvido por Léo Corradini


Existem pessoas na internet, alegando que o sal grosso é mais saudável por ter uma quantidade de magnésio maior que no sal comum. Ensaiei uma amostra de sal grosso outra de sal comum e duas soluções de referência.
Soluções de referência, uma com apenas água destilada e outra com 5 mg de magnésio.
A solução com 5 mg de magnésio é composta por 10mL de água destilada e 12 gotas de solução com um grama de cloreto de magnésio anidro em 30 mL de água destilada.
Teoria do ensaio:
O hidróxido de magnésio, recentemente preparado, tinge-se de marrom/vermelho na presença do iodo dissolvido em iodeto, esse fenômeno é característico do íon magnésio.
O iodo (I) reage com o íon hidroxila (OH-) produzindo o íon iodeto (I-), água e o íon hipoiodito (IO-) que tem uma cor mais clara que o iodo, aumentando o contraste entre a solução e o hidróxido de magnésio tingido.
2I + 2OH- <--> I- …

Termopar Tipo K

Imagem
Índice do Blog

O termopar tipo K é certamente o sensor de temperatura mais popular atualmente.

Escrito e desenvolvido por Léo Corradini

Ele é usado em uma infinidade de modelos de multímetros.




Este pequeno dispositivo é um sensor usado para medir a temperatura da ponta do soldador.



Ele também é um termopar tipo K e é montado num aparelho com indicação digital da temperatura.




Termopar é constituído por dois fios de metais ou ligas diferentes, soldados entre si em uma de suas extremidades.
Essa junção é sensível ao calor, a grande vantagem do termopar é poder trabalhar em altas temperaturas.

Quando aquecemos essa junção ocorre a formação de uma tensão elétrica entre os dois fios que é função da temperatura e dos materiais usados, Thomas Seebeck descobriu esse fenômeno em 1821.
Essa tensão elétrica é na ordem de milivolts e tem que ser amplificada para permitir a medida por um voltímetro analógico ou digital.

Eles podem trabalhar em várias faixas de temperaturas e podem ser muito finos, o que redu…

Medidor de Umidade Relativa Eletrônico

Imagem
Índice do Blog

Desenvolvimento de um indicador de umidade relativa com indicação analógica.

Escrito e desenvolvido por Léo Corradini

O projeto baseia-se no circuito integrado HIH-4000 da Honeywell.




Esse circuito integrado gera uma tensão teórica entre 0,8 a 3,9V para a faixa de 0 a 100% de umidade relativa para 25°C.

A fórmula que define seu funcionamento é:

U=(((E/V)-0,16)/0,0062)/(1,054-(0,00216xT))

Onde:

U = Valor da umidade relativa (%).
E = Tensão na saída do sensor (V). 
V = Tensão de alimentação do sensor (5V).
T = Temperatura do sensor (°C).

A temperatura é fácil de medir, já a umidade relativa exige um artifício que envolve o uso de sais puros, costumo usar o cloreto de magnésio e o cloreto de sódio.

Pode-se obter dentro de um pequeno volume fechado uma umidade relativa bem estabelecida a uma determinada temperatura.
Para tanto, basta que tenhamos uma solução saturada com excesso de MgCl2 ou NaCl em contato com o ar desse pequeno volume.

Assim, uma solução saturada e com excesso de cloreto …

Cores de alguns íons metálicos

Imagem
Índice do Blog

Cada cavidade recebeu duas gotas de água destilada e uma gota das soluções de cátions e ânions correspondentes.

Escrito e desenvolvido por Léo Corradini





Soluções dos cátions:

- 100mg CdSO4.8H2O + 30mL H2O
- 1000mg ZnSO4.7H2O + 30mL H2O
- 100mg Pb(NO3)2 + 30mL H2O
- 500mg AgNO3 + 30mL H2O
- 1000mg MnSO4.H2O + 30mL H2O
- 1000mg CoSO4.7H2O + 30mL H2O
- 1000mg NiSO4.6H2O + 30mL H2O
- 500mg Fe(NH4)2(SO4)2.6H2O + 30mL H2O
- CuSO4.5H2O + 30mL H2O

Soluções dos ânions:

- 500mg Na2S.9H2O + 30mL H2O
- 1000mg KOH + 30mL H2O
- 200mg K2CrO4 + 30mL H2O
- 500mg K4Fe(CN)6 + 30mL H2O
- 500mg K3Fe(CN)6 + 30mL H2O
- 3000mg KI + 30mL H2O

- 500mg NH4SCN + 30mL H2O

Medindo a Umidade Relativa com o Cloreto de Cobalto

Imagem
Índice do Blog

Um interessante indicador de umidade relativa pode ser feito com o Cloreto de Cobalto.

Escrito e desenvolvido por Léo Corradini

Esse sal muda de cor em função da umidade, variando de rosa claro até o azul.

Protótipo do indicador de umidade usando um envelope de polietileno.

As moléculas da água lentamente migram através desse polímero. 




Impregnei várias tiras de papel filtro (30x7mm) com uma gota de solução (120mg/mL) de CoCl2.




Para fazer a escala de cores coloquei vários papéis com o CoCl2 dentro de frascos bem fechados, cada um com um pequeno béquer com uma solução de Ácido Sulfúrico com concentração diferente.

Soluções de H2SO4, quando estão confinadas, tem a propriedade de controlar a umidade relativa no espaço de ar sobre ela, quanto maior a concentração menor será a umidade.

Uma variação mais precisa dessa técnica é usar soluções saturadas com excesso de sal:

.......Sal.....temp.°C.............5......10......15.......20......25

Cloreto de Lítio.................11,3...11,3...…