Postagens

#187 - Radônio do Granito #1

Imagem
  O objetivo desta postagem é mostrar a técnica para detectar a emissão de radônio por pequenas amostras de rochas radioativas. Este ensaio será do granito Cinza Corumba. Escrito e desenvolvido por Léo Corradini Teoria do ensaio: Os granitos contém pequenas quantidades de potássio, tório e urânio que os tornam radioativos. O urânio, em particular, produz em sua cadeia de desintegração um gás também radioativo chamado Radônio. O Radônio tem meia vida relativamente longa (3,8dias) que favorece a sua saída pela porosidade natural do granito. O princípio de funcionamento deste ensaio está baseada em dois fenômenos que foram observados ao longo dos vários ensaios já mostrados neste blog. O primeiro fenômeno é a produção de uma poeira radioativa produzida pela conversão do Radônio-222 em Polônio-218 que vai depositar-se nas proximidades da rocha emissora do gás. O segundo fenômeno está relacionado com a polaridade da alta tensão aplicada na válvula Geiger-Müller (SBM-20) usada nas medições.

#186 - Radioatividade do Quartzito

Imagem
  O objetivo desta postagem é fazer um teste comparativo entre a radioatividade do Quartzito Cinza Absoluto o Granito Cinza Corumba e o Dourado Carioca. Escrito e desenvolvido por Léo Corradini   Quem acompanha o blog sabe que os granitos têm pequenas quantidades de urânio e tório na faixa de 15ppm que os tornam ligeiramente radioativos. Desta vez, comparei a radioatividade do quartzito com dois tipos de granito. Granito Cinza Corumba Granito Dourado Carioca Usei uma pequena blindagem de chumbo sobre a válvula Geiger para reduzir a radiação de fundo. A blindagem consiste de uma pequena canaleta de chumbo com 3mm de espessura coberta com uma camada de plástico para reduzir o contato com o metal. As amostras foram cortadas com 55 x 55 x 20mm e a válvula Geiger SBM-20 foi colocada diretamente sobre as amostras. A radiação de fundo também foi medida com a blindagem. Foram oito ensaios com duração de 24 horas cada usando o contador Geiger para baixos níveis de radiação (1) . Dois ensaios da

#185 - Cristal de Rochelle #1

Imagem
  O objetivo desta postagem é mostrar como fazer cristais de Rochelle e demonstrar a sua piezoeletricidade. Escrito e desenvolvido por Léo Corradini O cristal de Rochelle que é constituído pela substância Tartarato duplo de Sódio e Potássio tetrahidratado e tem propriedades piezoelétricas, ou seja, produz eletricidade quando submetido a esforços mecânicos.  Ele foi muito usado no passado para fazer microfones, fones de ouvido e captadores fonográficos.   A representação do aglomerado iônico foi feito com massa de EVA. Os carbonos são as pretas, os oxigênios são as vermelhas, os hidrogênios são as brancas, o sódio é a amarela e o potássio é a azul. Procedimentos: Existem várias formas de fazer o tartarato de sódio e potássio, tipicamente reagimos uma solução a quente de cremor de tártaro (tartarato monopotássico KC4H5O6) com o carbonato de sódio (Na2CO3) até que não haja mais a formação de bolhas. Também podemos reagir o cremor de tártaro com o bicarbonato de sódio até não formar mais b

#184 - Blindagem de Chumbo #1

Imagem
  O objetivo desta postagem é mostrar o ensaio de uma blindagem para a radiação de fundo usando esferas de chumbo. Escrito e desenvolvido por Léo Corradini Teoria do ensaio: A radiação de fundo é o resultado da radioatividade natural do ambiente, ela é composta basicamente pela radiação do radônio e carbono-14 presentes na atmosfera, também por múons produzidos na alta atmosfera e outros elementos radioativos que contaminam todos os materiais a nossa volta. Assim, a radiação de fundo sempre será uma das principais fontes de interferência em todos os ensaios da radioatividade emitida por qualquer substância. Isso ficou bem demonstrado nos inúmeros testes mostrados neste blog.   Então, é interessante criar meios para reduzir essa interferência e uma das formas mais usadas para essa finalidade em laboratório é usar o chamado "Castelo de Chumbo". O castelo de chumbo é uma construção constituída por tijolos de chumbo em toda a volta do material que está sob ensaio. Como podemos ve

#183 - Indicador Ácido - Base com Amora

Imagem
  O objetivo desta postagem é mostrar um indicador ácido/base feito de amoras que pode ser interessante para feiras de ciência. Escrito e desenvolvido por Léo Corradini Teoria do ensaio: A amora é rica em antocianinas que são ótimas indicadoras de pH. As Antocianinas são muito difundidas entre os vegetais, podemos experimentar: Jabuticaba, uva, pitanga roxa, morango, jambolão, ameixa, cebola roxa, cereja, berinjela, acerola, etc. Também, flores de petúnia, flamboyant, pata de vaca, ipê roxo, azaleia e muitas outras. Além, do clássico repolho roxo! Futuramente vou fazer uma postagem sobre o indicador de repolho roxo mostrando como fazer um conjunto de soluções com as cores para diversos valores de pH. Procedimento: A extração da Antocianina não é crítica. Basta macerar algumas amoras com um pouco de água e filtrar. No ensaio, usei 10 gramas de amoras em 50 mL de água. As cores são o resultado de uma gota do indicador por mL da solução testada. Em pH ácido a cor tende para o vermelho e e

#182 - Câmara de Ionização Analógica

Imagem
  O objetivo desta postagem é mostrar o projeto de uma câmara de ionização analógica que permite detectar radiações Beta, Gama, Raios X e possivelmente Múons. Escrito e desenvolvido por Léo Corradini Projeto: Este projeto é uma variante do modelo digital amplamente descrito neste blog. Ele usa o mesmo hardware, porém o voltímetro digital foi substituído por uma indicação analógica.  Usei duas latas soldadas, uma faz parte da câmara de ionização e a metade de outra lata contém a eletrônica. Dessa forma, temos duas blindagens eletrostáticas independentes. A câmara de ionização é fechada com folha de alumínio comum. A grande vantagem desta câmara é que trabalha com baixa tensão (12V) à pressão atmosférica e sem gases especiais, apenas o ar atmosférico.   Perceba que existe um fio de cobre estanhado nú e isolado com teflon montado no centro da câmara. Ele é responsável por coletar as cargas produzidas pela radiação que adentra a câmara e ioniza ar. Eletrônica: O responsável pela alta sensi