Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2018

#093 - O circuito integrado 555

Imagem
                              Índice do Blog O circuito integrado temporizador 555 é um dos projetos de maior sucesso na eletrônica, desde a sua criação em 1970 pela Signetics até os dias atuais. Escrito e desenvolvido por Léo Corradini Seu irmão da família CMOS o TLC555CP da Texas Instruments foi fundamental no projeto da fonte de 500 volts (a partir de uma alimentação de 4,5V) para polarizar a válvula Geiger-Müller LND-712. Seu baixo consumo aliado a um funcionamento preciso permitiu construir um gerador de tensão bastante alta com um consumo total do circuito de menos de 4mA. Reza a lenda que o 555 recebeu essa designação por conta dos três resistores de 5k que  polarizam os comparadores. Segundo o projetista do 555, Hans Camenzind, o nome foi escolhido de forma arbitrária pela Signetics, portanto não é verdadeira essa história dos três resistores de 5k.   Projeto do contador Geiger modificado: https://potassio-40.blogspot.com/2017/11/contador-g

#092 - Vitamina C no coquinho

Imagem
                      Índice do Blog Ensaio da quantidade de vitamina C na polpa do coquinho. Escrito e desenvolvido por Léo Corradini Teoria do ensaio: A propriedade redutora da Vitamina C permite quantificá-la de forma relativamente simples. Podemos titular a Vitamina C usando a boa e velha iodimetria, ou seja, usando uma solução de Iodo com a concentração conhecida.  A Vitamina C (Ácido Ascórbico) reage com o Iodo produzindo Ácido Dehidroascórbico e íons iodeto incolores. Sabemos que um íon de Vitamina C (Ácido Ascórbico) reduz dois átomos de Iodo, transformando-os em íons iodeto incolores. Assim, 1 mol de Ácido Ascórbico reage com 2 mols de átomos de Iodo e produzem 2 mols de íons iodeto e 1 mol de íons de Ácido Dehidroascórbico. Temos então que 176,13 gramas de Ácido Ascórbico reagem com 253,8 gramas de Iodo. Procedimento: Fazer a solução padrão de Iodo usando 25mg de cristais de Iodo e 1g de Iodeto de Potássio dissolvidos em água destilada suficiente par

#091 - Vitamina C na Manga desidratada

Imagem
                                  Índice do Blog Existe uma crença popular de que a Vitamina C se perde facilmente, alguns acreditam que o simples fato de extrair o suco da fruta é suficiente para que ela desapareça completamente. Escrito e desenvolvido por Léo Corradini Neste ensaio vamos investigar a presença de Vitamina C na manga desidratada. Teoria do ensaio: A propriedade redutora da Vitamina C permite quantificá-la de forma relativamente simples. Podemos titular a Vitamina C usando a boa e velha iodimetria, ou seja, usando uma solução de Iodo com a concentração conhecida.  A Vitamina C (Ácido Ascórbico) reage com o Iodo produzindo Ácido Dehidroascórbico e íons iodeto incolores. Sabemos que um íon de Vitamina C (Ácido Ascórbico) reduz dois átomos de Iodo, transformando-os em íons iodeto incolores. Assim, 1 mol de Ácido Ascórbico reage com 2 mols de átomos de Iodo e produz 2 mols de íons iodeto e 1 mol de íons de Ácido Dehidroascórbico. Temos então que 176,

#090 - Fluoreto na água da torneira

Imagem
                              Índice do Blog O objetivo desta postagem é mostrar um ensaio para determinar a quantidade aproximada do íon fluoreto na água filtrada da torneira. Escrito e desenvolvido por Léo Corradini O íon fluoreto é adicionado na água para fortalecer os dentes, porém a quantidade não pode ser excessiva, valores acima de 2ppm podem causar escurecimento dos dentes. Teoria do ensaio: Uma estratégia bastante usada para ensaiar o íon fluoreto é aproveitar a característica desse íon de sequestrar alguns metais, o zircônio é o mais usado. Ligamos íons metálicos a corantes, isso muda a cor destes. Então, quando o íon fluoreto retira o metal do corante, devolve a cor original, permitindo testes qualitativos e quantitativos. Usei o reagente Scott-Sanchis para quantificar o fluoreto. Modo de preparo do reagente Scott-Sanchis (1): - Pesar 30mg de oxicloreto de zircônio (ZrOCl2.8H20) e dissolver em 5mL de água destilada. - Pesar 7mg de alizarina sódica (C

#089 - Cloro na água da torneira

Imagem
                      Índice do Blog O objetivo dessa postagem é mostrar um método prático para detectar o cloro na água da torneira e na água filtrada. Escrito e desenvolvido por Léo Corradini O carvão ativado, usado na maioria dos filtros, retira quase completamente o cloro da água. Teoria do ensaio: O cloro transforma os íons iodeto em iodo livre que reage com o amido produzindo uma cor roxa de intensidade proporcional à quantidade de cloro na água. Reagentes usados: Reagente A - Solução de um grama de iodeto de potássio em 10 mL de água destilada. Reagente B - Solução de amido solúvel acidificado. Modo de preparo do amido solúvel: Misturar um grama de amido de milho mais meio grama de ácido cítrico em 200mL de água destilada. Ferver, em fogo baixo, até que a consistência passe de viscosa para líquida (aproximadamente 30 minutos) acrescentado água à medida que evapora. O aquecimento com o ácido cítrico, quebra as longas cadeias do amido deixando as moléc

#088 - Vitamina C na Pitanga

Imagem
                                Índice do Blog O objetivo deste ensaio é determinar a quantidade de vitamina C na pitanga (Eugenia  uniflora). Escrito e desenvolvido por Léo Corradini Teoria do ensaio: A propriedade redutora da Vitamina C permite quantificá-la de forma relativamente simples. Podemos titular a Vitamina C usando a iodimetria, ou seja, usando uma solução de Iodo com a  concentração conhecida.  A Vitamina C (Ácido Ascórbico) reage com o Iodo produzindo Ácido Dehidroascórbico e íons  iodeto incolores. Sabemos que um íon de Vitamina C (Ácido Ascórbico) reduz dois átomos de Iodo,  transformando-os em íons iodeto incolores. Assim, 1 mol de Ácido Ascórbico reage com 2 mols de átomos de Iodo e produz 2 mols de íons  iodeto e 1 mol de íons de Ácido Dehidroascórbico. Temos então que 176,13 gramas de Ácido Ascórbico reagem com 253,8 gramas de Iodo. Procedimento: Fazer uma solução usando 25mg de cristais de Iodo e 1g de Iodeto de Potássio dissolvidos em  á

#087 - Radioatividade da Banana Prata

Imagem
                                       Índice do Blog           O objetivo deste ensaio é detectar radioatividade na banana.     Escrito e desenvolvido por Léo Corradini A banana é famosa por conter uma quantidade relativamente grande de potássio (1) . Portanto, é lógico pensar que ela é particularmente radioativa. A banana testada neste ensaio (prata) contém, segundo a Taco (2) , 358mg/100g de Potássio. Envolvi a válvula Geiger com 200 gramas de banana prata sem a casca e em fatias. Dessa forma, praticamente toda a superfície da válvula foi exposta à eventual radiação emitida pela massa da banana. Essa técnica aumenta muito a sensibilidade do ensaio, mas exige que a válvula esteja fora do aparelho. Outro ponto importante é a forma como a radiação foi quantificada. Geralmente, os contadores comuns mostram o valor instantâneo da radiação percebida pela válvula. Assim, o valor é mostrado analogicamente, com um galvanômetro, ou digitalmente em um display u