Detectando o Radônio # 2

                      Índice do Blog

O objetivo desta postagem é mostrar o ensaio da radioatividade no fluxo de ar.


Escrito e desenvolvido por Léo Corradini

O ensaio consiste em passar um fluxo de ar pela válvula Geiger, minha expectativa era que o valor da radioatividade fosse maior que a radiação de fundo.

Teoria do ensaio:

O gás radônio e seus filhos provenientes de solos e rochas estão presentes na atmosfera.

No ambiente doméstico, eles são produzidos principalmente pelos granitos.

A renovação constante do ar, e consequentemente dos materiais radioativos no entorno da válvula Geiger poderiam aumentar as contagens de radiação.

Montagem do ensaio:


Coloquei uma ventoinha de fonte de PC no interior de uma caixa de polipropileno soprando o ar para fora através de uma abertura.



Fiz outra abertura com o tamanho um pouco maior que a válvula Geiger no lado oposto.  


Assim, quando a ventoinha for ligada, haverá um fluxo contante de ar pela válvula.


Foram dois ensaios de 24 horas cada na cozinha, um com a ventoinha ligada e outro com a ventoinha desligada para determinar a radiação de fundo.

E quatro ensaios de 24 horas cada no quarto afastado da cozinha sendo dois com a ventoinha desligada, para estabelecer a radiação de fundo, e dois ensaios com a ventoinha ligada.

Resultados: 

Fiquei impressionado, um aumento médio de 42% na radioatividade no quarto e 10% na cozinha.
  

Conclusões:

Sem dúvida, eu estava certo quando suspeitei que haveria um aumento das contagens, mas jamais imaginei um valor tão alto.

A radiação de fundo na cozinha, onde se encontra a pia granito, é mais alta, consistente com os ensaios feitos em outras ocasiões.

Porém, com a ventoinha ligada, não houve um aumento tão expressivo se comparado ao ensaio no quarto.

Desconsertante, talvez consequência da forte ventilação que existe nesse ambiente.
Seria necessário fazer mais ensaios com as janelas e portas fechadas, o que evidentemente é muito complicado. 

Uma variante do ensaio, é colocar um filtro na janela de entrada do fluxo de ar.
Dessa forma, a poeira radioativa seria retida próxima da válvula Geiger, embora isso reduzisse o fluxo de ar.

Pensei na hipótese de recebermos mais radioatividade quando expostos ao vento, passeando de moto, bicicleta ou mesmo correndo! 

Veja também:


Contador Geiger para baixos níveis de radioatividade. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Radioatividade do filamento da Magnétron

A radioatividade do Granito

Chumbo na fumaça

Índice do Blog:

Radioatividade na lâmpada fluorescente 2

A pilha de Zamboni

Joule Thief