#078 - Radioatividade da Camisa de Lampião

                                      Índice do Blog

O objetivo deste primeiro ensaio e verificar se a camisa de lampião encontrada no comércio é radioativa.

Escrito e desenvolvido por Léo Corradini




A camisa de lampião é um dispositivo para a geração de luz branca brilhante quando aquecida por uma chama. 




Antigamente era comum encontrar essa peça aditivada com óxido de tório além de óxidos de terras raras.

Usei o detector para baixos níveis de radioatividade.





Procedimento:

Enrolei duas camisas de lampião sobre a válvula Geiger para aumentar a sensibilidade do ensaio.




- Camisa de lampião

Resultou 27095 contagens em 1440 minutos -> 18,82 CPM 





- Radiação de fundo

Resultou 27959 contagens em 1440 minutos -> 21,33 CPM


Conclusão:

Não foi observada radioatividade extra na camisa.

Neste ensaio, também ocorreu o que eu costumo chamar de efeito blindagem.

O efeito blindagem acontece quando colocamos um material muito pouco radioativo sobre ou próximo da válvula Geiger. 
Os valores medidos tendem para números mais baixos que os da radiação de fundo.

Veja também:

Contador Geiger-Müller
https://potassio-40.blogspot.com/2017/11/contador-geiger-muller.html


Comentários

  1. parabens.....vc tirou-me uma duvida como li a forma q elas eram fabricadas , achei q tinha material radioativo nas camisas modernas tb...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja esse video que eu mesmo fiz e tire suas conclusãoes https://www.youtube.com/watch?v=05Sw2HvQDA0

      Excluir
    2. Luiz, essa certamente tem tório !

      Excluir
  2. O problema talvez seja conseguir, mas seria legal testar se existe radioatividade nos interruptores de luz, aqueles que brilham no escuro. Eu sei que é um material fosforescente como o sulfeto de zinco, mas não creio que seja radioativo, mas seria legal testar.

    Outra coisa, essa eu sei que deve ter alguma radiação seria o vidro de urânio.

    Por fim outra coisa legal seria uma água que tenho aqui perto de casa, seria a água da fonte vilela em águas da prata, considerada a mais radioativa das Américas. A placa da fonte informa 186 maches. Não sei quanto a radioatividade decai após a coleta da água. Embora a fonte esteja em reformas, se você quiser uma hora posso coletar uma amostra e te enviar pelo correio. Basta você dizer se interessa o teste, dai vemos um jeito de conversar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciano, boas sugestões!
      Se os interruptores fossem radioativos brilhariam o tempo todo independente de receber luz.
      Além de que, para fazer brilhar o sulfeto de zinco, seria necessário um elemento muito radioativo tipo rádio, seria caro e muito perigoso.
      Muita gente já morreu nas antigas fábricas onde pintavam os mostradores de relógio com essa mistura.

      O vidro com urânio é difícil achar no Brasil.

      Sim, no geral, as águas subterrâneas são radioativas por conta do radônio dissolvido nelas, as rochas e solos desprendem esse gás.
      Porém, essa radioatividade tem vida curta, assim temos que medir logo que a água sai da fonte.

      Excluir
    2. Olá Léo. Sim, como disse o fenômeno é de fosforescência, ou seja precisa ser excitado com luz para que brilhe. Mas é um material que já despertar a curiosidade de muita gente.

      O vidro de urânio talvez procurando com algum colecionador possa conseguir algo.

      Lembrei de mais uma coisa que sei que tem um pouco de material radioativo. Sensor de fumaça de incêndio, os do tipo ionizante usam um sensor com americio-241. Não sei o quão difíceis são de obter ou se ainda são fabricados.

      Quanto a água, bem... tem um documento bem antigo de um estudo da USP da década de 1970, onde há este trecho discorrendo sobre as caracteristicas da fonte, veja se é algo que desperta sua curiosidade:

      ----------------------------------------------------------------------------------
      Observa-se uma radioatividade mais elevada
      na Fonte Vilela que surge das fissuras de arenito.
      Segundo FRAYA (1957) as fraturas da
      formação arenítica de Águas da Prata são
      preenchidas por um material amarelo muito
      argiloso, contendo em geral, de 0,1 - 0,2% de
      óxido de urânio (U30s). Esse urânio provem
      do minério zircono-uranifero existente na
      reglao. A fonte Vilela pode ser classificada
      como fortemente radioativa.
      -------------------------------------------------------------------------------

      Se quiser ler o documento todo o link pra download do mesmo e este:

      www.ppegeo.igc.usp.br/index.php/bigusp/article/download/2119/1881

      Por ultimo gostaria de conversar com você sobre o seu ultimo detector, o que usa VU. Gostaria de montar um, mas estou tendo muitas dúvidas com a válvula geiger muller, tem varias no ebay a preços bem acessíveis, mas não consegui determinar qual seria a melhor.

      Excluir
    3. Esqueci, se o documento acima despertar o interesse, continua de pé a proposta de lhe enviar (assim que terminar a reforma da fonte, pois está fecha ao público) um pouco dessa água.

      Excluir
    4. Luciano você pode experimentar a ucraniana SBM-20 ela parece ser sensível e é barata.
      Estou pensando em comprar essa válvula também porque as minhas estão morrendo misteriosamente.
      Quanto a água, você poderia fazer os testes. Seria muito interessante.
      Meu foco atual são os touchpads dos smartfones, eles contém óxido de índio.
      Acontece que o índio é radioativo (emite Beta) de baixa energia.
      A quantidade é muito pequena, vamos ver se consigo detectar essa radiação.
      As fontes de amerício-241 dos detectores de fumaça são as queridinhas dos experimentadores, porém no Brasil são difíceis de encontrar.

      Excluir
    5. Ok... como posso entrar em contato com você? Gostaria de saber qual o circuito do ratermeter que você usou... eu penso em montar um hibrido com o medidor instantâneo, e com o contador pra longas exposição.

      Sobre as válvulas, também encontrei umas da philps, com janela de mica, como a ZP1452, ZP1400, ZP1200 e os russos MST-17, SI22BG, SI3BG, SBM21, SI19BG....

      Esse ultimo, o SI19BG achei interessante, pequeno e diz que detecta alfa, beta e gama. Não sei se é sensível, e o preço é bem convidativo.

      O formato do SBM-20 me deixou confuso pra fazer um dispositivo bem portátil.

      Excluir
    6. É verdade Luciano, com a janela de mica é muito melhor!
      Não se preocupe, farei uma postagem futura detalhando o projeto do ratemeter.

      Excluir
    7. Olá Luciano, só pra ajudar, no Brasil está proibido o Sensor de fumaça de incêndio, os do tipo ionizante que usam sensor com americio-241. Mas dá pra comprara da chia no site aliexpress somente a camara radioativa com esse metal. Eu comprei varios e chegou todos... Pesquise como NAP-07 e vai achar varios...

      Excluir
    8. Luciano, veja o ratemeter aqui:
      https://potassio-40.blogspot.com/2018/09/contador-geiger-didatico-com-sbm-20.html

      Excluir
  3. Bem... o que você me diz das caracteristicas do SI19GB:

    SI-19BGM geiger tube is designed to detect betta, gamma and alpha.
    Sensitivity Radiation 1000-1500 Pulses/s/R/h
    Plateau Inclination 0.25%/V
    Working Voltage 360-440V
    Maximum registering range 900 Roentgen/hour
    Length 20mm
    Diameter 9.3mm
    Weight 4 grams

    Similar ao seu? Melhor? Pior? Qual o dado que tenho que me atentar para ser uma válvula sensível?

    ResponderExcluir
  4. Basicamente o tamanho da janela de mica, a julgar pelo tamanho da SI-19BGM acredito que seja um pouco menos sensível que a LND712.

    ResponderExcluir
  5. fui para no hospital uma vez por manipular um material extremamente radioativo o rádio226

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

#042 - Radioatividade do filamento da Magnétron #1

#037 - A radioatividade do Granito

#034 - Índice do Blog

#023 - Joule Thief

#038 - Chumbo na fumaça

#046 - Kit de Química da John Adams

#052 - Impressora Jato de Tinta